As redes de computadores surgiu com o objetivo de compartilhar informações e recursos, através de dispositivos interconectados entre si. Porém, a rápida evolução tecnológica impulsionada pelo surgimento da Internet, fez com que as redes de computadores se integrassem à sociedade, e o compartilhamento de informações e recursos se tornou um aspecto secundário. A variedade de serviços digitais que permitem a interação de usuários, bem como novos modelos de negócios e consumo, se tornaram o foco principal dos sistemas de redes. 

Esse avanço, torna as redes de computadores cada vez mais complexas e, o impacto de uma falha em um ambiente de rede pode produzir uma perda imediata no serviço, que pode ser materializado em perdas financeiras e comerciais. 

O Gerenciamento de redes, é um processo que está associado ao controle das atividades e ao monitoramento dos recursos utilizados em um ambiente de rede, visando minimizar interrupções e maximizar a eficiência e produtividade. 

Para cumprir com estes objetivos, é necessário entender e planejar uma estrutura de gerenciamento de redes,  seguindo alguns passos.

Etapas da Gerência

  1. Coleta de dados:  É um processo que consiste na monitoração dos dispositivos de uma rede, está relacionado a observação e análise do estado e configuração dos componentes, tendo basicamente uma função de leitura de informações relevantes;
  2. Diagnóstico: Trata e analisa as informações coletadas, com o objetivo de identificar e determinar a causa do problema;
  3. Controle de Rede: É um processo que trata das modificações de parâmetros e a execuções de ações, com base na coleta e no diagnóstico. O que fazer com a informação é tão importante quanto ter a informação.

Com o planejamento correto das etapas, é possível obter informações relevantes, correlacionar e analisar essas informações, e tomar medidas e ações para correções de falhas, e prevenção de eventos futuros, corroborando com a redução de paradas e melhoria de performance no ambiente de rede. Após entender as etapas de gerência, o próximo passo é entender e definir as áreas funcionais da gerência de rede, conforme segue.

Pilares da Gerência de Redes

  1. Gerência de Falhas: Responsável por detectar, isolar, notificar e corrigir operações anormais no funcionamento dos recursos de rede; 
  2. Gerência de Configuração: Responsável por registrar os parâmetros de configuração dos serviços e ativos de redes;
  3. Gerência de Contabilização: Responsável por registrar o uso de recursos da rede por parte dos usuários, podendo ser usado para cobrança ou utilização de métricas;
  4. Gerência de Desempenho: Responsável por medir e disponibilizar informações sobre desempenho dos serviços de rede, para garantir conformidade e qualidade dos serviços;
  5. Gerência de Segurança: Responsável por restringir o acesso e o uso incorreto da rede por parte dos usuários, para proteger a operação e os recursos.

Sabendo dos aspectos e importância da gerência de redes, agora é colocar a mão na massa e ter uma rede gerenciada, com informações que servem para manter a saúde do ambiente, e que suportem o crescimento do negócio. Ter visibilidade e informações relevantes, nunca foi tão importante como nos dias atuais, que vivemos uma transformação digital rápida e efetiva.